Cobiça

Autora: J. R. Ward

Série: Fallen Angels (#1)

Sinopse: Redenção não é uma palavra que Jim Heron conhece muito bem – a especialidade dele, pessoal e profissional, é vingança, e para ele, pecado é bem relativo. Mas tudo muda quando ele se torna um anjo caído e é incumbido de salvar as almas de sete pessoas dos sete pecados capitais. Sua arma: o poder do amor. Seu inimigo: o mais sombrio mal. E falhar não é uma opção. Vincent Di Pietro se entregou ao seu trabalho – até que o destino intervém na forma de um muito convincente, dono de uma Harley, salvador declarado, e uma mulher que o fará questionar seu destino. Com um mau antigo pronto para reclamá-lo, Vin tem que trabalhar com um anjo caído não apenas para salvar sua pele… mas para salvar sua alma.

Comentário desnecessário: Admito que quando eu peguei esse livro para ler, eu vi o nomes da série (Fallen Angels) e pensei “ah não, mais um livro sobre anjos caídos e etc etc”. Mas um amigo meu (que me emprestou o livro) me disse que era bom. Conforme eu ia lendo, vi que o livro era tudo o que eu não achei que seria.

Conta a história de Jim Heron, um cara comum, que não é completamente bom mas também não é completamente mal, que, após sofrer um acidente de trabalho, morre. Mas ele só fica morto por alguns minutos, e nesse tempo ele se encontra com quatro anjos que explicam para ele que ele é encarregado de salvar a alma de sete pessoas de sete pecados mortais. A primeira pessoa é Vin DiPietro, um cara que basicamente vive para o trabalho (e é apenas em Vin que esse livro é focado. Acho que provavelmente cada livro da série é uma missão diferente). E também há a personagem Marie-Terese, uma dançarina de uma boate que foge de um marido controlador, que acaba se envolvendo com Vin.

Uma coisa desse livro que é um pouco diferente dos livros que eu costumo ler é a idade dos personagens. Jim, por exemplo, tem quarenta anos.

O livro não tem tanto sobrenatural como eu imaginei. Jim e sua missão de salvar as almas, visões do futuro que Vin tem, anjos e demônios meio que representando o Bem e o Mal em uma disputa. Apenas isso. Além disso, todo o lado sobrenatural só ganhou mais foco da metade para o fim do livro, antes disso ele meio que estava focado nas vidas quase completamente comuns de Jim, Vin e Marie-Terese.

A linguagem do livro é bem tranquila e, apesar de ter quase 500 páginas, é um livro que dá para ler rápido. Às vezes eu fiquei meio perdida com os diálogos, mas nada que interferisse muito na história. Tem romance na história, mas nada muito ridículo/nhénhénhé. A história é interessante e realmente me prendeu, mas eu não diria que é um dos melhores livros que eu vi na vida. É bom.

Nota: 3,5 / 5,0

THEME